Em alusão ao Dezembro Vermelho, Prefeitura intensifica ações de prevenção do vírus HIV

A coordenadora do Programa de ISTs da SMS, Débora Oliveira

Em novembro de 2017 foi sancionada a lei que instituiu o “Dezembro Vermelho”. Desde então, além do Dia Mundial Contra a Aids, comemorado no dia 1º de dezembro, passaram a ser intensificadas durante o último mês do ano as ações de prevenção, proteção, assistência e promoção dos direitos humanos de pessoas que vivem com o vírus HIV e aids. Em Aracaju, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), dará início, nesta segunda-feira, dia 2, a uma programação especial alusiva a esta campanha, que se estenderá até o dia 20.
Com isso, a SMS tem como principal objetivo informar e provocar reflexão de que é possível viver com HIV sem estigma e preconceito. Em Aracaju, 5.255 pessoas fazem uso do medicamento e cerca de 4.700 são atendidas no serviço ofertado pela rede municipal de saúde, sendo que as demais são acompanhadas pelo Hospital Universitário ou pela rede particular.

“Temos uma média entre 60 a 80 novos casos chegando por mês ao nosso serviço e essas pessoas vêm de várias partes do estado. Uma campanha como a do Dezembro Vermelho vem para fortalecer as ações e, sobretudo, ressaltar a importância da prevenção. Uma das nossas maiores preocupações é com o diagnóstico tardio, e isso é justamente o ponto que acaba levando ao óbito muito cedo”, destaca a coordenadora do Programa de ISTs da SMS, Débora Oliveira.

Para além da programação especial organizada para este mês de dezembro, a Secretaria Municipal da Saúde proporciona assistência, tanto para quem ainda não teve o diagnóstico como também para os que já têm a confirmação positiva para HIV/Aids.

Serviços
É no Centro de Especialidades Médicas (Cemar) do Siqueira Campos que as pessoas vivendo com HIV/AIDS são atendidas e acompanhadas. Além disso, a Prefeitura também oferta testes rápidos de detecção através do Previna Móvel, um veículo adaptado que realiza um primeiro diagnóstico e faz o encaminhamento para o serviço, caso seja detectado algum caso.

“Além disso, realizamos ações de promoção dentro da atenção básica, nas escolas e em ONGs. Temos ainda o Consultório de Rua e a Redução de Danos para trabalhar com um grupo mais específico. Atuamos através de palestras educativas e buscamos sempre incentivar a realização dos testes periodicamente a fim de possibilitarmos o diagnóstico precoce e, sem seguida, o tratamento o mais rápido possível”, ressalta Débora.

Outro serviço ofertado pelo município através dos hospitais Fernando Franco e Nestor Piva é a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), que é a disponibilização de medicamentos antiretrovirais por pessoas após um possível contato com o vírus HIV em situações como violência sexual; relação sexual desprotegida (sem o uso de camisinha ou com rompimento da camisinha), acidente ocupacional (com instrumentos perfurocortantes ou em contato direto com material biológico).
Já o serviço de Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PREP), que é o uso preventivo de medicamentos antes da exposição ao vírus do HIV para reduzir a probabilidade de infecção, pode ser acessado através do Ambulatório Infectologista do Hospital Universitário.

Combate ao preconceito

Antigamente, o tabu a respeito do HIV/Aids era um dos fatores que dificultavam o diagnóstico e tratamento, o que levava à morte de maneira muito rápida e sofrida. Hoje, apesar da abertura do diálogo e da comunicação ser mais abrangente e múltipla, o preconceito ainda existe, muitas vezes, inclusive, do soro positivo contra ele mesmo. Cuidar do psicológico das pessoas que tiveram o diagnóstico positivo para a doença é um dos desafios das equipes da Saúde e uma meta a ser cumprida a fim de levar mais qualidade de vida a essas pessoas.

“Uma das nossas preocupações é com estigma e preconceito. As pessoas com HIV/Aids precisam falar que têm a doença e se sentirem livres. Precisamos fazer com o que o quadro mude. Trabalhar com os que já descobriram a doença para que façam o tratamento e, sobretudo, para que se enxerguem de forma mais solidária. É extremamente importante que se entenda que é possível viver muito bem com a doença. Para se ter uma ideia, temos pacientes com aids há 25, 30 anos. Então, é necessário abrir a mente para as possibilidades porque apoio a SMS dá e todo o tratamento está à disposição”, reforça a assessora técnica.
Sobre a doença

A Aids é uma doença causada pelo vírus HIV, geralmente por contato sexual desprotegido com pessoa contaminada, mas pode ser também transmitida por transfusão sanguínea e compartilhamento de objetos perfurocortantes. Diferentemente do que muitos pensam, ser HIV positivo não é o mesmo que ter Aids. A Aids é o estágio mais avançado da doença, quando o sistema imunológico encontra-se bastante debilitado.
É uma doença que não mata por si só. Por causar um grande impacto no sistema imunológico, o paciente fica sujeito a doenças oportunistas, como a pneumonia, que surgem no organismo nesse momento de fraqueza. Assim sendo, não se morre de Aids, morre-se das complicações geradas pelas doenças oportunistas.
Programação da campanha

De acordo com Débora Oliveira, a Prefeitura de Aracaju promoverá um mês com atividades amplas. “Durante a programação falaremos sobre o diagnóstico precoce, estigma e preconceito, sempre abordando o assuto de maneira simples: ‘como é que pega, como não pega, como é conviver com uma pessoa com HIV’, justamente para instigar as pessoas a cessarem com o preconceito. Trabalharemos com o diagnóstico e o cuidado compartilhado”, detalhou.
Programação:
02/12 – Minuto da Prevenção na UBS Santa Terezinha

03/12 – Oficina caso a caso na UBS Geraldo Magela

04/12 – Minuto da Prevenção na UBS Marx Carvalho

05/12 – Minuto da Prevenção na UBS Manoel de Souza

06/12 – Oficina caso a caso na UBS Carlos Fernandes

09/12 – Oficina caso a caso na UBS José Calumby

10/12 – Oficina caso a caso na UBS Carlos Hardman

Oficina caso a caso na UBS Onésimo Pinto

Oficina caso a caso na UBS Carlos Augusto César Leite

11/12 – Oficina caso a caso na UBS Irmã Caridade

12/12 – Minuto da Prevenção na UBS José Calumby

13/12 – Fórum Perinatal no auditório da SMS

16/12 – Minuto da Prevenção na UBS Ministro Costa

17/12 – Minuto da Prevenção na UBS Irmã Caridade

18/12 – Minuto da Prevenção na UBS Lauro Dantas

19/12 – Oficina caso a caso na UBS João Oliveira

Oficina sexualidade UBS Walter Cardoso

Divulgação Boletim Epidemiológico HIV/Aids

20/12 – Oficina Caso a caso na UBS Dona Jovem

Um nome novo na política da Barra

EQUIPE BARRA

Na manhã desta segunda, 18, o presidente estadual do Cidadania em Sergipe, senador Alessandro Vieira, esteve reunido com integrantes do partido da Barra dos Coqueiros e foi consolidada a decisão de lançar uma candidatura própria a prefeito e uma chapa de vereadores no município em 2020.

O jovem advogado Hebert  Pereira, que é “filho” da Barra dos Coqueiros,  foi o nome escolhido para encabeçar esse processo como o pré-candidato a prefeito e será  apoiado por todo o grupo político e outros nomes de fora da política nesse novo desafio.

Hebert é um jovem preparado, que vem acompanhando a política em Barra dos Coqueiros desde 2008, quando participou ativamente dos bastidores da eleição municipal daquele ano. Até o final de 2011 desenvolveu projetos ligados à juventude na cidade, mas transferiu seu título para Aracaju, onde resolveu entrar para a política, concorrendo à eleição de vereador pela primeira vez em 2012, pela segunda vez em 2016 e atualmente é primeiro suplente de vereador da Capital. Também foi candidato a Deputado Federal em 2018, sendo bem votado em toda Grande Aracaju.

“Desde adolescente tinha o sonho de ser prefeito da cidade onde fui concebido e passei boa parte da minha infância, mas por questões familiares, foi em Aracaju – a terra que me abraçou e me deu a maioria das oportunidades -, que iniciei meus passos na política. Mesmo assim, nunca me afastei da Barra e sempre estive acompanhando de perto tudo que se passava, pois sabia que um dia eu ia voltar. Sou muito grato a Aracaju e continuarei a lutar por ela. Mas nesse momento, me sinto preparado e na obrigação de voltar às minhas origens, a fim de ajudar a renovar a política do meu município e garantir que o progresso chegue a todas as pessoas, principalmente para que as crianças e jovens da minha terra tenham as oportunidades que eu tive”, afirma Hebert Pereira.

Agora é esperar para ver. Mas uma coisa não temos dúvida: o jovem é preparado, íntegro e tem muita força de vontade. E com o apoio de grandes nomes da atualidade da política sergipana pode causar um rebuliço na política da “Ilha de Santa Luzia.”

Luciano Pimentel destaca participação em fórum sobre mercado imobiliário de Angola

Pimentel

Por indicação do presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), João Theodoro da Silva, e do diretor secretário da entidade e presidente do Conselho Regional de Imóveis (Creci/SE), Sérgio Sobral, o deputado estadual Luciano Pimentel foi convidado pela Associação dos Profissionais Imobiliários de Angola (APIMA) para ministrar palestra no fórum “Regularização Jurídica do Imobiliário em Angola e o Financiamento à Habitação Social”, realizado no último dia 15, em Luanda.

Na tarde desta segunda-feira, 18, o parlamentar ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa para destacar a participação no evento. “Angola possui uma história marcada pela desigualdade social. Hoje o Governo está buscando mecanismos para promover políticas públicas que proporcionem uma vida mais digna a população, mas ao visitar Luanda ainda observamos uma grande concentração de renda”, pontuou.

Durante o fórum, Luciano Pimentel abordou as experiências do mercado imobiliário brasileiro, desde a criação do Banco Nacional da Habitação e do Sistema Financeiro de Habitação, em 1964, até o surgimento do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal.

“A habitação social no Brasil, quase que em sua totalidade, foi feita com recursos nossos, através de saldo oriundo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que por determinação do Governo Federal foi utilizado no Minha Casa, Minha Vida. Foi essa medida que deu consistência ao programa habitacional em nosso país. Em Angola eles não possuem FGTS e necessitam de aporte do fundo do Governo Federal”, explicou.

De acordo com Luciano Pimentel, praticamente todos produtos consumidos em Angola são importados. Fator que contribui para a fixação de preços exorbitantes até mesmo em habitações populares.

“Uma casa de dois quartos, sem acabamento, é vendida por 55 mil dólares. O Governo de Angola publicou uma Lei estabelecendo que o valor de uma casa social pode chegar a 150 mil dólares. Ou seja, passa dos 600 mil reais. Se fosse construída no Brasil, essa residência custaria entre 40 e 50 mil reais. Na ordem de 15 mil dólares”, salientou.

Segundo o deputado, o evento colocou em discussão a criação de um Banco da Habitação, iniciativa que ele considera positiva.  “Destaquei que, assim como ocorreu no Brasil, esse banco seria o marco para instituição de uma política de habitação a longo prazo. Capaz de trazer benefícios para toda população”, enfatizou. 

Presenças

Técnicos de diversos órgãos estiveram presentes no fórum, entre eles: Governo de Portugal; Governo da Província de Luanda; Ministério da Justiça; Ministério das Finanças; Ministério do Ordenamento do Território e Habitação; Ministério da Administração do Território;  e do Fundo do Governo de Angola para o fomento habitacional, além de representantes da APIMA.

 Agenda

Em Luanda, Luciano Pimentel participou também de formação para sobre o imobiliário, promovida no dia 14, e de visitas técnicas realizadas no dia 16. Nesse período, o deputado esteve ainda na 16ª edição da Projekta, uma feira de equipamentos e serviços para a construção civil, obras públicas, urbanismo e arquitetura.

“Visitei alguns stands e pude confirmar que vivemos um cenário totalmente diferente. Em um deles estavam lançando um prédio comercial simples, questionei o valor de aquisição de uma das salas, com cerca de 42 m², e descobri que custava 200 mil dólares. Para que essa realidade possa mudar, eles precisam avançar muito na produção de material no próprio país”, concluiu.

SMTT readequa trânsito para facilitar acesso ao Jabotiana e reduzir congestionamentos

MUDANÇA EM JABOTIANA

Começaram a funcionar no domingo (17) os semáforos que foram realocados da avenida Tancredo Neves com o cruzamento da rua Nourival da Silva – na lateral da Toyolex -, para a rua João Géniton da Costa. A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju fez a transferência dos equipamentos para facilitar o acesso ao bairro Jabotiana e o tráfego na região.

Com a transferência do cruzamento semafórico, o condutor que segue pela avenida Tancredo Neves, sentido Rodoviária Nova/DIA, e deseja retornar, deverá acessar a rua Fátima Maria Chagas e, em seguida, as ruas Projetada e João Géniton da Costa, saindo no novo cruzamento semaforizado da Tancredo Neves.

Já o condutor que está na Tancredo Neves sentido DIA/Rodoviária Nova e deseja retornar, poderá acessar as ruas Dom Pedro II e Dom Pedro I, fazendo um “balão” e saindo no novo cruzamento, que dá acesso ao outro sentido da avenida. Para os moradores do bairro Jabotiana, os acessos serão feitos pelas ruas Fátima Maria Chagas e Nourival da Silva, que agora têm sentido duplo de circulação.

Além do deslocamento do semáforo, a rua Dom Pedro I passa a ter sentido único de circulação, no trecho entre a Tancredo Neves e a travessa Dom Pedro I. As mudanças de trânsito implementadas recentemente na região do bairro Jabotiana foram debatidas junto a representantes de moradores do local.

Monitoramento

De acordo com o superintendente da SMTT, Renato Telles, todo o estudo técnico para a formulação desse novo plano de circulação no Jabotiana foi feito a partir de uma demanda da sociedade e o objetivo é melhorar o tráfego na região.

“Com a mudança do semáforo, vamos facilitar o acesso ao bairro e desafogar o trânsito na lateral da Petrobras, por exemplo. São alterações que visam, exclusivamente, melhorar a mobilidade urbana e dar mais comodidade a população”, ressalta.

Agentes da SMTT permanecerão no local durante o período de adaptação para auxiliar o trânsito e orientar os condutores.

Prefeitura iniciou nova etapa da campanha de vacinação contra o sarampo nesta segunda, 18

Prefeitura inicia nova etapa da campanha de vacinação contra o sarampo nesta segunda, 18.png

Seguindo o calendário do Ministério da Saúde, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), vai iniciar na próxima segunda-feira, dia 18, a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra o sarampo, e se estenderá até o dia 30. Nesta fase, o público alvo será a população de 20 a 29 anos.

O Dia D desta segunda fase também será o encerramento da mobilização, no dia 30 (sábado), das 7h às 13h, também em todas as UBS de Aracaju. De acordo com a coordenadora de Imunização da SMS, Ilziney Simões, durante esta etapa, as doses estarão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Aracaju, de segunda à sexta, das 7h30 às 16h30.

“A vacina contra o sarampo já é disponibilizada para a população na rotina das Unidades, na faixa etária de 1 a 49 anos e a campanha vem como estratégia para melhorar as coberturas vacinais, pois o país está em alerta, em virtude dos casos confirmados de sarampo”, destacou.

Ainda segundo Ilziney as equipes continuam a vacinação contra o sarampo das crianças de seis meses a menores de um ano. “Os pais ou responsáveis que não levaram suas crianças para vacinar na primeira etapa, devem procurar a UBS mais próxima e atualizar a situação vacinal das crianças”, explicou.

Documentação
A campanha agora é voltada para o adulto jovem, que é uma das faixas etárias mais acometidas pela doença. “Além da vacina contra o sarampo, nós também vamos atualizar todas as outras vacinas de rotina, por isso, é importante levar a carteira de vacinação, documento de identificação e comprovante de residência” acrescentou.
Dados da doença no Brasil

A Organização Pan Americana de Saúde (OPS) concedeu ao Brasil, em 2016, certificado de eliminação do sarampo, que não registrava casos novos desde 2000. Porém, em 2017, ocorreu um surto de sarampo na Venezuela que chegou ao Brasil em 2018, ocasionando a perda do certificado.

Aracaju teve neste ano cinco suspeitas notificadas, sendo 1 caso confirmado, de um residente do estado da região Sul do país, 2 descartados e 2 ainda sob investigação.

Iran Barbosa cobra participação popular na definição do orçamento sergipano

Iran.png
O deputado estadual Iran Barbosa (PT) destacou, na manhã dessa quarta-feira, 13, o início da votação, na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, do Projeto de Lei Nº 229/2019, que dispõe sobre o Orçamento do Estado de Sergipe para o Exercício Financeiro de 2020, estimando a receita e fixando a despesa, e do Projeto de Lei Nº 227/2019, que dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2020/2023.

O parlamentar chamou a atenção para a ausência do debate, através de Audiência Pública, no âmbito do Poder Legislativo, no tocante ao conteúdo de ambos dois projetos.

“A Casa Legislativa precisa ter uma agenda de votações que inclua a realização de Audiências Públicas. Ressalto a necessidade de ampliar o envolvimento da sociedade em discussão de matérias que são de interesse direto da população, como o PPA e a LOA”, disse Iran, lembrando que propôs que a Assembleia realizasse o debate público sobre as matérias e foi o autor da emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias 2019 que incluiu a necessidade da participação popular no processo de discussão e elaboração do Orçamento de 2020, em todos os Territórios do estado.

“Defendo que a participação popular é essencial no debate de todas as questões, especialmente naquelas que tratam de investimento nas políticas públicas, como é o caso do PPA e da LOA, peças fundamentais para o funcionamento do Estado”, manifestou-se Iran Barbosa.

A Prefeitura inicia segunda etapa das mudanças de circulação do Jabotiana na sexta, 15

mapa regiao jabotiana

A Prefeitura de Aracaju está investindo na mobilidade urbana do bairro Jabotiana, uma das regiões que mais crescem na capital sergipana, e a partir da próxima sexta-feira, dia 15, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) iniciará a transferência dos semáforos do cruzamento da rua Nourival da Silva, lateral da Toyolex, para o cruzamento seguinte, na rua João Géniton da Costa. Os semáforos começarão a funcionar no novo local no domingo, 17.

Durante o processo de transferência dos semáforos, os dois cruzamentos, o novo e o antigo, ficarão fechados por dois dias. Dessa forma, os condutores terão de acessar outras opções de retorno, como por exemplo a rua João Ouro e a avenida professor José Olino de Lima Neto, na lateral da Petrobrás.
As alterações na região têm a intenção de promover uma reorganização do tráfego de veículos no bairro Jabotiana e na avenida Tancredo Neves. “O Jabotiana e adjacências têm crescido nos últimos anos e há a necessidade de uma readequação viária para melhorar o tráfego na localidade. Com a mudança do semáforo, iremos facilitar o acesso ao Jabotiana e desafogar o trânsito na lateral da faculdade PIO X, por exemplo. São alterações que visam, exclusivamente, melhorar a mobilidade urbana e dar mais comodidade a população”, afirma o superintendente da SMTT, Renato Telles.

Como fica o Trânsito
Com a transferência do cruzamento semafórico, haverá alterações no trânsito da região do Jabotiana. Os retornos da rua Nourival da Silva (Toyolex) serão fechados e outro será aberto na rua João Géniton da Costa. Assim, o condutor que segue pela avenida Tancredo Neves, sentido Rodoviária Nova/DIA, e deseja retornar, deverá acessar a rua Fátima Maria Chagas e em seguida as ruas Projetada e João Géniton da Costa, saindo no novo cruzamento semaforizado da Tancredo Neves.

Já o condutor que está na Tancredo Neves, sentido DIA/ Rodoviária Nova, e deseja retornar, poderá acessar as ruas Dom Pedro II e Dom Pedro I, fazendo um “balão” e saindo no novo cruzamento, que dará acesso ao outro sentido da avenida. Para os moradores do bairro Jabotiana, os acessos serão feitos pelas ruas Fátima Maria Chagas e Nourival da Silva (lateral da Toyolex), que passa a ter sentido duplo de circulação.

Além do deslocamento do semáforo, as ruas Dom Pedro I e II passam a ter sentido único de circulação, a partir do domingo, 17. “Essas ruas terão apenas um sentido de circulação, no trecho entre a Tancredo e a Travessa Dom Pedro I, para evitar congestionamentos. A intenção é de que o trânsito flua com tranquilidade, principalmente nos horários de pico”, explica o coordenador de sinalização da SMTT, Diego Carvalho.

Diálogo com a comunidade
A direção da SMTT se reuniu diversas vezes com moradores da região para informar e debater com a comunidade as mudanças no trânsito. A última reunião, foi realizada no início desta semana, na sede da SMTT.

O morador Igor Souza Oliveira acredita que as mudanças trarão melhorias para o trânsito do Jabotiana. “Essa é uma reivindicação antiga da comunidade e importante para o bairro. Acredito que teremos grandes benefícios. A mudança é fundamental para o acesso dos moradores e também para os estudantes da faculdade porque o trânsito do lado da Petrobras tem um fluxo muito grande. E a maneira como este processo está sendo conduzido, dialogando com a comunidade, é extremamente importante”, disse.

Já o presidente do Conselho Comunitário do Residencial Celuta Porto, Edmundo de Almeida, declara que essas mudanças são a realização de um sonho. “Uma das demandas que a gente tem ali no residencial é a questão do acesso. Hoje, é bem difícil por conta do grande fluxo de veículos da avenida Tancredo Neves. Estamos realizando um sonho com essa mudança e a gente espera que a alternativa trazida pela Prefeitura venha melhorar e atender as nossas expectativas. Aproveito, inclusive, para agradecer aos técnicos da SMTT, que estão sempre em contato com a gente e ouvindo as nossas sugestões”.